Serviços da empresa Oi

Serviços da empresa Oi

Geralmente, quando falo de uma empresa por aqui é pra apontar os pontos positivos. Mas hoje, depois de sete meses sofrendo nas mãos da Oi, resolvi mostrar meu lado má #mwhahaha.
No comecinho do blog, em julho, contei que havia solicitado a portabilidade da GVT, empresa que fornece minha internet e minha linha de telefonia fixa há alguns anos, pra Oi. A solicitação junto à Oi foi feita no dia 23 de junho de 2012 e até hoje ela não foi atendida. MAS, veja só, as faturas chegam mensalmente à porta da minha casa, mesmo sem que nada tenha sido instalado por aqui. Que interessante, né?
Eu liguei muitas e muitas vezes, cheguei a chorar no telefone (de raiva, é claro!), expliquei a história pros atendentes inúmeras vezes e fui extremamente mal atendida. Em algumas ligações, o atendente simplesmente me transferiu, DO NADA, pra um setor nada a ver (e aconteceu de eu ser transferida pra setores que nem mesmo atendem aos problemas da minha região!) e este setor não poderia fazer o retorno da ligação. Ou seja, eu precisaria desligar e refazer a ligação. Absurdo atrás de absurdo.
Tudo isso porque eu queria apenas o que era meu por direito: parar de receber as faturas de uma conta que NÃO EXISTE!
Foram 7 meses disso, até que sexta-feira, FINALMENTE, consegui cancelar a linha. Mesmo assim a atendente pediu dois números de telefone e um e-mail pra que a empresa possa entrar em contato comigo, caso necessário.
Pior é que não sou um caso isolado. Na casa dos meus sogros aconteceu algo muito parecido. Meu sogro, que tem um celular com linha da Oi, pediu o seu cancelamento. Pra não abrir mão da linha, a Oi ofereceu tudo o que tinha: linha fixa, internet e TV a cabo por um precinho simbólico. Meu sogro aceitou.
Você não imagina a novela que foi! Demorou pra que tudo fosse resolvido e instalado, mas agora parece que está tudo bem.
E o Wesley, como já contei e até já mostrei, é repórter. Recentemente, ele fez uma matéria com o Procon falando sobre as empresas líderes de reclamação em 2012. A Oi estava em 1º lugar.
Fico pensando: será que o mundo é tão absurdamente capitalista que os proprietários de uma empresa como esta não se envergonham do serviço que oferecem e só se importam com o lucro? Será que não enxergam que ter uma equipe destreinada apenas serve como um ponto negativo pra quem liga à central de atendimento pra pedir ajuda? Não percebem que trabalhando apenas com empresas terceirizadas (pois é assim que eles fazem as instalações de internet, telefone e TV, com terceirizados) fica mais difícil de controlar o que foi feito, como foi feito e dar um feedback ao cliente que liga reclamando?
Não sei, gente… Sei que é de uma falta de respeito com a sociedade que chega a dar raiva.
Fica aqui o meu alerta. Espero que o meu problema seja resolvido (de verdade) e que eu não precise mais ter contato algum com esta empresa.
Se você já passou por algo deste tipo, seja com qual empresa for, conte aqui. É bom saber destas coisas pra que a gente não caia mais em promessas tentadoras, porém sustentadas em pés de barro.

Até amanhã,
Mariana

curta a fan page do Minha Casa, Minha Lida!

Anúncios
Morar Mais por Menos Curitiba

Morar Mais por Menos Curitiba

Começa hoje a 6ª edição da Mostra Morar Mais por Menos de Curitiba. E diz que vem cheia das novidades!

Eu, na verdade, nunca fui nas edições anteriores, mas este ano estou tentada a ir, principalmente por causa do blog :) Outro motivo é o post que li da Carol no Casa de Filó. Ela fala sobre a Morar Mais por Menos de Brasília, cidade em que ela vive, e parece tudo tão lindo, legal e genial! Será que a daqui também está assim? Tomaraaa!

Recebi umas fotos da assessoria e vou compartilhar com você:

As duas fotos foram feitas pelo Marcelo Stammer. Na primeira, vemos o Espaço Zen Urbano do Grupo Héstia. Na segunda, Fernanda Menosso Raitani e Rose Raitani planejaram um Chá com Leitura.

A ideia da Mostra é apresentar a reutilização de peças e móveis. São caixotes de feira que se transformam em armários, garrafas pet que ganham nova vida em painéis, prendedores de roupa como decoração e por aí vai até o infinito e além. E todos estes elementos “descartáveis”, digamos assim, estão acompanhados por outros, nobres, cumprindo com o grande objetivo do evento: mostrar ao público um resultado de bom gosto e custo reduzido.

Estou curiosa para ver tudo isso de pertinho! E o preço é camarada: R$ 30 (estudante, idoso e cliente OI paga meia – não me encaixo em nenhum item :( ). Os horários de funcionamento são: de terça a sábado, das 16h às 22h; aos domingos e feriados o horário muda: das 15h às 21h.

Endereço: R. Reinaldino S. de Quadros, 1590 – Alto da XV.