Dicas da nutricionista

Dicas da nutricionista

Quem nunca cantou aquele hino da infância que diz “comer, comer é o melhor para poder crescer”? Mentira se você disser que não (aliás, sobre mentiras, hoje um colega de trabalho leu uma matéria para nós dizendo que, por dia, a gente escuta, em média, 200 mentiras. Ui, né? É para ficar com a pulga atrás da orelha). Voltando à musiquinha, a gente sabe o quão importante é para nossa saúde comer bem, fazer um exercício, ter momentos de paz e tranquilidade e tudo mais. Aí eu tenho uma amiguinha de infância (hehe), a Letícia, que hoje é nutricionista e vive postando umas coisas muuuito legais e interessantes no Facebook dela (aqui), justamente sobre alimentação correta, dicas de lanchinhos para levar ao trabalho e afins. Eu gosto bastantão!

Sei que nutrição não tem muito a ver com o assunto principal aqui do blog, mas achei legal dividir com você um pouco também sobre esse assunto, que é importante para todos, né? Então, se for do agrado, posso pedir para a Letícia que escreva mais vezes para cá. Se você achar que não tem nada a ver, tudo bem, também! É um teste hehe

Mas vamos ao que este post tem a dizer. Fique agora com a nutricionista Letícia Castilho.

OBESIDADE x ESTRESSE

Segunda a Organização Mundial de Saúde, a obesidade é tida como a epidemia do século XXI. Considerada a doença da sociedade moderna, ela está fortemente associada com outro mal da atualidade: o estresse. Isto porque ele pode ser o grande causador da dificuldade que algumas pessoas têm de  perder peso, pelo fato dele desregular os níveis do hormônio cortisol (comportamentos como raiva, irritabilidade, insônia, fadiga, compulsão alimentar, pular refeições, ingerir bebidas alcoólicas para controlar o estresse e fumar para relaxar aumentam os níveis de cortisol). Como consequência do aumento do “hormônio do estresse”, pode ocorrer um acúmulo de gordura (principalmente na região abdominal), aumento da resistência à insulina (pré-diabetes), diminuição da disposição para atividade física, aumento da necessidade por alimentos palatáveis (doces, frituras), hipertensão, depressão, ansiedade e uma série de distúrbios.

Justamente ao querer perder peso, o quadro tende a piorar, pois a maioria das pessoas busca dietas restritivas e milagrosas para ter resultado rápido. Porém, estudos mostram que a restrição calórica aumenta ainda mais os níveis de cortisol, ou seja, quanto menos a pessoa ingere, mais o metabolismo fica lento, devido a um mecanismo de proteção do organismo para conservar energia. Aumentando o “hormônio do estresse”, aumenta-se também o estoque de gordura e a compulsão alimentar, virando um círculo vicioso.

Então, o que fazer para reduzir os níveis de cortisol e eliminar peso de maneira saudável? Devemos consumir alimentos que sejam moduladores do hormônio, como abacate, chá verde, chá preto, chá de alcaçuz, chá de melissa e oleaginosas; e, o principal, evitar longos períodos de jejum. A privação alimentar aumenta ainda mais as taxas de cortisol, por isso a importância de se alimentar a cada três horas.

Perder peso é muito mais fácil do que se imagina! Não é necessário passar fome, comer somente alimentos light e se alimentar apenas duas vezes ao dia. Para eliminar peso de forma saudável é preciso um equilíbrio de todo organismo, principalmente corpo e mente. Procure um profissional nutricionista para lhe indicar uma dieta adequada, que aliada à atividade física reduzirá os níveis de cortisol e facilitará o processo de perda de peso.

Letícia Castilho

Nutricionista

CRN 8 7260

Anúncios

Gostou? Me conta!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s